Selecione o Profissional
 

Raí Souza Vieira de Oliveira

TEMAS:


Raí Souza Vieira de Oliveira é Ex-Jogador de Futebol. Atuava como meia. Atualmente, é Diretor Executivo de Futebol do São Paulo Futebol Clube. Iniciou sua carreira no Botafogo, clube de sua cidade natal, aos 15 anos. Passou pela Ponte Preta por empréstimo durante o Campeonato Brasileiro de 1986, e no ano seguinte voltou ao Botafogo, durante o Campeonato Paulista. Foi convocado para a Seleção Brasileira e disputou a Copa América daquele ano. Chegou a ser cobiçado pelo Corinthians, mas foi contratado pelo SPFC ainda em 1987, para o Campeonato Brasileiro.

 

Sua experiência inspiradora é dividida com o público por meio de palestras, nas quais aborda temas ligados a trabalho em equipe, motivação, superação, perseverança, liderança, gestão de mudanças e gestão de conflitos.


São Paulo

 

Sua estreia foi na derrota por 1 a 0 para o Grêmio. O seu primeiro gol pelo clube viria no terceiro jogo, na vitória por 2 a 0 sobre o Goiás. Em 1989, foi campeão como jogador profissional pela primeira vez ao conquistar o Campeonato Paulista daquele ano.

 

Antes da chegada de Telê Santana, em 1990, Raí tinha marcado apenas 26 gols em mais de 3 anos. Porém depois que o técnico Telê Santana passou a comandar o time o jogador marcou muitos gols: foram 28 em 1991, sendo 20 feitos no Campeonato Paulista de 1991, quando conquistou a artilharia do Paulistão.

 

Foi o capitão do time no Campeonato Brasileiro de 1991 e ajudou o SPFC a conquistar seu 3º título, em cima do Bragantino de Carlos Alberto Parreira. Nessa campanha, Raí foi o artilheiro do time, com 7 gols, fato que se repetiria no Brasileirão seguinte, no título do bicampeonato consecutivo da Libertadores, em 1993, e nos Campeonatos Paulistas de 1992 e 1993.

 

Como campeão brasileiro, conquistou a Libertadores de 1992 contra o Newell's Old Boys, da Argentina. Foi decisivo ao marcar o gol que levou a final à decisão por pênaltis. Acertou a sua cobrança na disputa e, com a vitória tricolor, como capitão do time levantou o troféu diante de 120 mil torcedores no Estádio do Morumbi.

 

Na disputa do Mundial Interclubes de 1992, no Japão, Raí marcou dois gols - sendo o primeiro com a barriga e o segundo em uma cobrança de falta - e o São Paulo venceu o jogo contra o Barcelona, conquistando o título. Raí foi eleito o melhor jogador do mundial.

 

Na volta ao Brasil, o São Paulo ainda venceu a final do Paulistão, batendo o Palmeiras por 2 a 1. Nesse campeonato, Raí chegou a marcar cinco gols em um mesmo jogo, na vitória por 6 a 0 sobre o Noroeste, de Bauru, em 15 de outubro.

 

No começo de 1993 foi vendido ao Paris Saint-Germain, da França, por 4,6 milhões de dólares, mas ficou no Brasil até o meio do ano e conquistou ainda a Libertadores de 1993, marcando um gol de peito no primeiro jogo da final e novamente levantando o troféu. No Paulista, o time ficou em terceiro lugar, e a despedida do meia foi em uma vitória por 6 a 1 sobre o Santos, em junho.

 

Paris Saint-Germain

 

Na sua primeira temporada, quando o PSG ganhou o Campeonato Francês de 1993-94, foi substituído na maioria de seus jogos e chegou até a frequentar o banco de reservas. No entanto, seria um dos principais jogadores do time na conquista dos títulos da Recopa Europeia de 1996 (finalista em 1997), do Campeonato Francês de 1995-96, da Copa da França de 1994-95 e de 1997-98, da Coupe de la Ligue de 1994-95 e 1997-98.

 

Retorno ao São Paulo

 

Raí ainda voltou ao São Paulo em 1998, e sua reestreia foi contra o Corinthians, já na final do Campeonato Paulista daquele ano: ele fez um gol de cabeça e foi campeão no mesmo dia em que desembarcou no país. Mas em um jogo contra o Cruzeiro, em 9 de agosto, pelo Campeonato Brasileiro, Raí rompeu os ligamentos no tornozelo após uma entrada de Wilson Gottardo e teve de ficar mais de um ano parado.

 

Quando voltou, ficou na reserva durante boa parte do Campeonato Brasileiro de 1999, recuperando-se gradativamente ao longo da competição.

 

O último gol de Raí como profissional foi em junho de 2000, diante do Palmeiras, no Palestra Itália. Sua última partida antes de se retirar dos gramados foi pouco menos de um mês depois, em uma derrota por 3 a 1 para o Sport em João Pessoa, pela Copa dos Campeões. Ele é considerado um dos jogadores mais importantes da história do clube.

 

Seleção brasileira

 

Na seleção brasileira, entretanto, não teve tanto destaque como no São Paulo. Jogou 51 partidas pelo Brasil, marcando dezesseis gols, incluindo um de pênalti no jogo contra a Rússia pela primeira fase da Copa do Mundo de 1994, campeonato em que jogou com a camisa 10. Nessa Copa, foi titular nos três primeiros jogos do time, quando também era seu capitão. Além disso, entrou no segundo tempo contra Holanda, nas quartas-de-final, e Suécia, nas semifinais.

 

Pós-aposentadoria

 

Raí chegou a ocupar um cargo na diretoria do tricolor, mas não ficou muito tempo. Em 2005, o ex-jogador são-paulino foi um dos convidados de honra do São Paulo para acompanhar o time na disputa do Mundial de Clubes. Ele chegou a tempo de acompanhar o jogo do tricolor na semifinal do mundial. O atraso deveu-se a um compromisso do ex-jogador com o governo francês, para discutir projetos da Fundação Gol de Letra. Para a surpresa de Raí, ele ainda reviveu a sua época de jogador ao participar do penúltimo treino (que também seria o último rachão do ano) do São Paulo antes da final do Mundial.

 

Atualmente, dirige uma entidade filantrópica de ajuda às crianças chamada Fundação Gol de Letra, ao lado de seu ex-colega de São Paulo e Paris Saint-Germain, Leonardo. Em 2006, junto com outros atletas, criou a organização Atletas pela Cidadania, que se dedica a defender causas sociais. Em dezembro de 2017, foi anunciado como novo executivo de futebol do São Paulo.

 

Títulos

 

São Paulo

 

* Campeonato Brasileiro: 1991;

* Campeonato Paulista: 1989, 1991, 1992, 1998 e 2000;

* Copa Libertadores da América: 1992 e 1993;

* Mundial Interclubes: 1992.

 

PSG

 

* Campeonato Francês: 1994;

* Copa da França: 1995 e 1998;

* Recopa Europeia: 1996.


Seleção Brasileira


* Copa do Mundo 1994.

 

Prêmios individuais

 

São Paulo

 

* Artilheiro do Campeonato Paulista de Futebol, 1991;

* Meio-campista da "equipe ideal" do Brasil (O Estado de São Paulo), 1992;

* Melhor jogador do mundial de clubes, 1992;

* Melhor jogador brasileiro (O Estado de São Paulo), 1992;

* Melhor jogador da América do Sul (El País), 1992.

 

Palestra


Nesta palestra o participante terá a oportunidade de sentir-se motivado para enfrentar os desafios de sua carreira, percebendo como suas habilidades representam instrumentos para sua realização. Empresas vencedoras são formadas por seres humanos vencedores. Para conseguir vencer as barreiras e superar limites, é necessário estar totalmente atento, absorvendo o máximo de informações possíveis no menor espaço de tempo.

 

Temas das Palestras

 

* trabalho em equipe;
* motivação;
* liderança;
* gestão de mudança;
* perseverança;
* e gestão de conflitos.

 

Objetivos das Palestras

* Concentrar o foco na meta;
* Viver o presente, orientado para o futuro;
* Acreditar em seu potencial;
* Atuar pelo prazer de fazer bem feito;
* Desenvolver espírito de equipe.

 

07/2019


Outros Palestrantes do mesmo tema


Serviços
  • Clique aqui se você é um Palestrante e deseja participar do casting da Mix Palestras.
  • Clique aqui para obter uma proposta ou contratar um palestrante
Contato
  • (11) 3522-6622
  • (13) 3022-1177
  • (11) 98079-3030
  • e-mail:
    comercial@mixpalestras.com.br
  • skype:
    mix.palestras
  • twitter:
    @mixpalestras