Selecione o Profissional
 

Minotouro (Rogério Nogueira)

Minotouro (Rogério Nogueira)

TEMAS:


Antônio Rogério Correia Nogueira, também conhecido como Minotouro, é lutador de artes marciais mistas. É irmão gêmeo de Antônio Rodrigo Nogueira (o Minotauro), e são famosos lutadores representantes das artes marciais brasileiras no cenário do MMA mundial. Teve participação em um episódio do seriado A Lei e o Crime, da Record, além de outras participações especiais em novelas.

 

Carreira no Boxe

 

No boxe atuou nos Jogos Pan-americanos de 2007 na categoria super-pesado. 'Minotouro' venceu as lutas contra Enoch Romeo de Trinidad e Tobago por 17 a 2, Jonny Molina da Venezuela por 18 a 6, e acabou perdendo na semifinal para o cubano Robert Alfonso por 4 a 0, ficando com a medalha de bronze, já que no boxe olímpico não há disputa de 3º lugar.

 

Carreira no MMA

 

Antes de se tornar uma grande estrela no Pride, Rogério competiu nos eventos DEEP e HooknShoot e ganhou um registro de 2-0, após esses combates, Nogueira começou a treinar com a mesma equipe que seu irmão, Brazilian Top Team. Nogueira iria fazer a sua estreia PRIDE Fighting Championships em abril de 2002 no PRIDE 20 contra o pro-wrestling japonês e lutador de MMA Yusuke Imamura, Minotouro venceu a luta no primeiro round com uma guilhotina em apenas 35 segundos.

 

Nogueira perdeu a sua primeira luta para Vladimir Matyushenko por decisão, mas que se recuperou com uma vitória sobre Tsuyoshi Kohsaka em seguida.

 

No Pride 24, Rogério Nogueira lutou contra Guy Mezger. Ambos os atletas buscaram a luta no solo, pois ambos pareciam um pouco hesitante em ficar de pé. A luta acabou indo para a decisão dos juízes e Nogueira ganhou por decisão da maioria. Rogério lutou no Pride 25 contra Kazuhiro Nakamura, que fazia sua estreia no MMA profissional. Minotouro venceu o combate com um armlock no segundo round.

 

Em sua próxima luta no Pride, Nogueira foi colocado frente ao lendário lutador e favorito do público Kazushi Sakuraba no evento principal do Pride Shockwave 2003. Rogério utilizou seu jogo de chão e também seu melhor em pé e no clinch. Nogueira derrotou o lutador japonês por decisão unânime.

 

Nogueira venceria Alex Stiebling na Coreia, antes de retornar ao Japão para revanche Nakamura no evento principal do Pride Bushido 4. Rogério venceu novamente, só que dessa vez por decisão dividida. Nogueira teve uma vitória na decisão unânime Pride 29 contra Alistair Overeem. Nesta luta, Overeem escapou de muitas tentativas de finalização de Nogueira, o lutador holandês parecia cansado no final da luta e Nogueira se aproveitou para levá-lo ao solo no terceiro round, garantindo a vitória por decisão unânime.

 

Em 2005, Nogueira participou do Grand Prix dos Médios do Pride, estreando contra Dan Henderson na rodada de abertura. Henderson haviado lutado o irmão gêmeo de Rogério, Antônio Rodrigo Nogueira em dezembro de 2002, e foi finalizado por uma chave de braço. Henderson teria a mesma sorte contra Rogério no final do primeiro assalto, sendo finalizado também com uma chave de braço. Nogueira avançou para as quartas-de-finais contra o lutador da Chute Boxe, Maurício "Shogun" Rua. Numa luta muito movimentada, Rua ganhou por decisão e, eventualmente, viria a ganhar o torneio.

 

Depois dessa luta Nogueira levou algum tempo para curar algumas contusões antigas, e só voltou a lutar em julho de 2006, onde ele lutou novamente contra Overeem e venceu dessa vez por nocaute técnico no segundo assalto, quando o córner de Overeem jogou a toalha após Nogueira castigar o oponente com vários golpes.

 

Pela segunda vez na sua carreira, lutou nos EUA, no Pride 33 contra o relativamente desconhecido Rameau Thierry Sokoudjou. No entanto, o lutador camaronês obteve uma surpreendente vitória ao nocautear Minotouro no primeiro round, no que é considerada uma das maiores surpresas de todo o MMA. O PRIDE fechou suas portas logo depois disso, e Nogueira derrotou Todd Gouwenberg no evento HCF antes de assinar um contrato para competir com o Affliction. Em seguida, lutou contra Edwin Dewees, nocauteando-o no primeiro round, no Affliction: Banned. Depois dessa luta, Minotouro lutou no Sengoku e derrotou Moise Rimbon. Posteriormente, foi dada a chance para devolver sua primeira derrota na carreira contra Vladimir Matyushenko, no Affliction: Day of Reckoning, e de fato conseguiu, nocauteando Matyushenko no final do segundo round. Após este combate, Minotouro lutou pela primeira vez no Brasil, no Jungle Fight 13: Ceará, onde venceu por finalização Dion Staring no terceiro round.

 

Após Affliction falir em 2009, Minotouro assinou um contrato com o Ultimate Fighting Championship.

 

UFC

 

Em agosto de 2009, Rogério Minotouro fez sua estreia no UFC 106 contra Luiz Cané. Com um cruzado de esquerda, derrotou o adversário e com socos no chão assegurou uma vitória por nocaute técnico aos 1m56 do primeiro round. No UFC 109, foi escalado para enfrentar Brandon Vera. No entanto, foi forçado a não lutar após sofrer uma fratura no tornozelo, sofrida durante o treinamento.

 

Sua próxima luta estava programada para ser contra o ex-campeão meio-pesado Forrest Griffin no UFC 114, todavia, Griffin não pôde lutar, devido a uma lesão no ombro. Minotouro lutou contra Jason Brilz. Numa luta muito equilibrada, o brasileiro venceu decisão dividida. Minotouro enfrentou o até então invicto, vencedor do TUF 8, Ryan Bader em setembro de 2010, no UFC 119. O brasileiro perdeu a luta por decisão unânime.

 

Após as derrotas para Phil Davis e Ryan Bader Rogério, foi esperado para lutar com o americano Rich Franklin, no UFC 133. Porém a luta foi cancelada devido uma lesão no ombro de Minotouro. Sua luta foi remarcada contra Tito Ortiz em Dezembro no UFC 140, na qual Mintouro sai vencedor por Nocaute Técnico.

 

Minotouro enfrentaria Alexander Gustafsson em abril de 2012, no UFC on Fuel TV: Nogueira vs. Gustafsson, mas devido a mais uma lesão, Minotouro não pôde lutar e foi substituído por Thiago Silva. Minotouro enfrentou Rashad Evans no UFC 156. Embora tenha perdido o primeiro round, conseguiu conectar bons golpes, defender as tentativas de queda do adversário, e vencer os 2 últimos rounds, ganhando a luta por decisão unânime (29-28).

 

Minotouro era esperado para enfrentar Maurício Shogun em junho de 2013, no UFC 161. Em uma revanche da luta que ocorreu no PRIDE Critical Countdown 2005. Porém uma lesão nas costas o tirou do evento. Minotouro era esperado para enfrentar Alexander Gustafsson em março de 2014 em Londres, mas uma lesão nas costas fez com que ele se retirasse do card.

 

Voltou ao octógono contra Anthony Johnson em julho de 2014, no UFC on Fox: Lawler vs. Brown. Foi derrotado por nocaute técnico em menos de 1min de luta. Em março de 2015, o UFC anunciou a esperada luta entre Minotouro e Shogun no UFC 190, revivendo a luta de 2005 ainda no Pride, quando Shogun venceu Minotouro por decisão unânime. Fez a revanche da luta do Pride Critical Countdown 2005 contra Shogun em agosto de 2015, no UFC 190. Foi derrotado por decisão unânime, o que não agradou muito o público.

 

Enfrentou o americano Patrick Cummins em maio de 2016, no UFC 198. Era tido como grande azarão, mas surpreendeu ao nocautear Cummins logo no primeiro round. Vitória que fez os fãs presente enlouquecerem.

 

Enfrentaria Alexander Gustafsson, mas por motivos não divulgados, o sueco saiu do card. Em seu lugar, o UFC escalou Ryan Bader para encarar o brasileiro na luta principal do evento. O americano fez ótima luta e deu um surra histórica no brasileiro, onde foi totalmente anulado em todos os quesitos. Para se ter uma ideia do massacre, o brasileiro acertou 2 golpes contra 86 do americano.

 

06/2019


Outros Palestrantes do mesmo tema


Serviços
  • Clique aqui se você é um Palestrante e deseja participar do casting da Mix Palestras.
  • Clique aqui para obter uma proposta ou contratar um palestrante
Contato
  • (11) 3522-6622
  • (13) 3022-1177
  • (11) 98079-3030
  • e-mail:
    comercial@mixpalestras.com.br
  • skype:
    mix.palestras
  • twitter:
    @mixpalestras